segunda-feira, 26 de outubro de 2015

E aí está o motivo desse último sumiço do blog!


Não é novidade que todo ano o Enem é sempre uma grande atração aqui no Brasil. Tem os atrasados, tem a quantidade cada vez maior de gente que vai realizar a prova, tem as eliminações absurdas e as questões no gabarito com as quais ninguém concorda. Pois é, em 2015 eu prestei novamente o Exame Nacional do Ensino Médio, dessa vez pra valer. Foi na semana anterior à prova que decidi que iria me desligar da maior parte das coisas, a fim de estar mais ou menos relaxada para prestar o exame. Deu certo? Bem...

Digamos que o Enem é uma prova grande. Gigante. São 180 questões a serem respondidas em um período de dez horas, em conjunto com uma redação. Parece fácil, não? Acontece que essas dez horas são distribuídas em dois dias seguidos, um com 4h30 e outro com 5h30. Dentro das 180 questões, cabe Português, Matemática, Filosofia, Química, Biologia, Geografia, História, Língua Estrangeira e talvez alguma outra coisa que eu esteja esquecendo no momento. Calculando o tempo, são cerca de três minutos para resolver cada uma delas, porém a maioria conta com um testamento texto que já consome pelo menos um minuto do participante para ser lido.

O primeiro dia foi o mais tranquilo. Saí da sala de prova vinte minutos antes de acabar o tempo, embora sem saber dizer se havia ido bem ou não. O segundo dia foi o oposto disso. Dia de Português, Matemática e Redação. Essa foi a exata ordem que segui, deixando a redação para o final. O resultado foi muita correria para passar tudo a limpo, com o sério risco de não dar tempo. Consegui terminar vinte segundos antes de tocar o sinal de encerramento das provas, o que foi ao mesmo tempo um alívio e uma decepção por saber que o texto poderia ter ficado muito melhor se não tivesse corrido. "Violência contra a mulher" é um assunto que vem sendo - e com razão! - amplamente discutido nos dias atuais, e para muita gente não foi nenhuma surpresa que ele tenha sido cobrado (menos para mim, que achava que não iria cair nenhum "ismo", - machismo, racismo, "homofobismo" - em suma, nada que pudesse provocar polêmica).

Foi tentando me preparar psicologicamente para essa prova que mantive o blog desatualizado durante as últimas semanas. Independentemente de ter ido bem no Enem ou não, várias ideias boas de posts e textos novos me vieram a partir dele. Espero conseguir colocar a maioria delas em prática por aqui, e, caso consiga mesmo, vocês não vão demorar a vê-las. Apesar de todo o desgaste e cansaço provocado pela prova, a minha maior alegria é poder retornar para cá. Que esse retorno seja O Retorno, em definitivo, para o Thaís na Cidade \o/


Nenhum comentário

Postar um comentário

Design criado por Thaís Maria. Todos os direitos reservados.